Pecuária Leiteira

Nutrição para gado: saiba quais são os pontos mais importantes

Escrito por Marcelo Raimundo

Não é novidade que o agronegócio é uma das fontes mais importantes que mantém a estabilidade financeira do Brasil. Entre todos os outros ramos do setor, a pecuária de corte arrecadou US$ 5,3 bilhões em 2016 e é responsável por empregar 1,6 milhões de brasileiros. E o que alavancou o negócio e conserva o país como maior exportador de carne bovina do mundo? Sem sombra de dúvidas é a boa nutrição para gado.

As últimas décadas têm sido de grande crescimento tecnológico na agroindústria, tanto no que se refere às práticas de bem-estar animal e ao desenvolvimento de equipamentos e sua interconectividade (IoT — Internet of Things), quanto ao manejo genético dos animais para a seleção de características que potencializem sua produtividade.

Mas, para o produtor, o retorno do custo dos investimentos precisa ser alto. Não basta empreender uma fazenda com as melhores raças de gado, se o tratamento dado a eles não for ao mesmo nível que o seu potencial genético.

Como, então, a nutrição para o gado entra nesse contexto para aumentar o desempenho dos animais? E quais são os pontos mais importantes para serem levados em conta nessa questão? Continue acompanhando o nosso artigo e descubra! Boa leitura!

Gado em confinamento — quando investir em nutrição é primordial

O Centro-Oeste, o Sudeste e o Sul do país são as regiões detentoras dos maiores rebanhos de gado, sendo que no Norte a atividade está em expansão. O Brasil possui uma extensão territorial que permite a criação e terminação de gado em campos livres. Entretanto, o sistema de confinamento tem crescido no país devido ao advento das diversas tecnologias envolvidas no processo de produção e às demais vantagens trazidas por ele como:

  • grande disponibilidade de grãos para a suplementação alimentar;
  • alívio dos pastos na época de seca;
  • remoção dos animais mais pesados das pastagens, liberando-as para rebanhos com menor exigência nutricional;
  • aumento da produtividade e da qualidade da carne;
  • redução do tempo de terminação;
  • programação de abates ao longo do ano;
  • intensificação do giro de capital.

O Brasil apresenta uma grande variação climática e a sazonalidade das chuvas interfere na qualidade do pasto, assim como as baixas temperaturas e a duração mais curta do dia também o faz. Quando a qualidade do insumo é alterada, o gado não consome tudo o que precisa para atingir as exigências de ganho de peso. Entra, aqui, a necessidade de suplementação alimentar por matéria seca.

A complementação é uma das mais vantajosas estratégias para impulsionar a performance dos animais tanto sob o ponto de vista biológico quanto o financeiro. A época de cria e recria dos bovinos são as mais importantes, uma vez que são nessas fases que os machos e as fêmeas apresentam a maior capacidade de conversão alimentar. Ou seja, que o potencial de engorda está no ápice e a rentabilidade das ações que envolvem esses períodos é alta.

O sistema intensivo de confinamento aumenta o valor das aplicações, visto que o produtor não fica à mercê da possível escassez de alimento. A importância de manter as taxas nutricionais do rebanho é nítida, pois cerca de dois terços dos investimentos de produção são alimentares. Sendo assim, uma boa nutrição para gado garante, também, uma carne de qualidade.

Escolha das dietas — o balanço entre custo e valor nutricional

É importante ressaltar, inicialmente, que não existe uma fórmula pronta e perfeita para a matéria seca. A dieta ideal vai depender dos alimentos disponíveis e seus preços além da raça, sexo e idade dos animais em fase de terminação, bem como o seu peso de entrada no confinamento e o peso pretendido no momento de abate.

Mas a regra a ser obstinadamente seguida é a escolha por ingredientes de alta qualidade tais como milho, sorgo, farelo e casca de soja, farelo e caroço de algodão e polpa cítrica, quando possível.  Receitas alternativas de baixo custo podem ser utilizadas (como bagaço de cana e baginha de soja, por exemplo), mas com cautela. Caso os valores nutricionais sejam muito baixos, a produtividade do rebanho pode decair.

Muitas fazendas produzem o próprio insumo e, assim, conseguem atingir uma maior economia nos custos de toda a cadeia de produção. Saber a origem do alimento diminui a chance de contaminação, além de ter maior controle sobre a colheita e, consequentemente, sobre o balanço da umidade na ração.

Outra questão importante é a utilização de uma misturadora de grãos. Quando não é dada a chance para o gado escolher o alimento, a ingestão de ração é mais homogênea e, portanto, o balanço nutricional é maior.

Controle de alimentação e bem-estar animal — o manejo como plano de fundo

Cabe lembrar que investir somente em raças de gado superiores com alto valor na constituição genética não é suficiente para garantir o sucesso na pecuária. Isso significa que é a combinação entre genoma privilegiado, boa alimentação e conforto animal que fará a diferença no empreendimento. A chave para o êxito nesse negócio está no manejo adequado do rebanho.

É fundamental que a equipe técnica da fazenda seja altamente capacitada, pois, em cada área de produção, os profissionais desempenham um papel de grande responsabilidade. Seja na escolha da dieta, no tratamento direto com os animais ou no domínio das tecnologias que interconectam os sistemas: o estafe deve ser capaz de identificar quaisquer intercorrências e tomar as precauções necessárias para saná-las.

Quando o conforto do rebanho é definido como o norteador de todas as operações, a produtividade do rebanho é estimulada. Prezar pela boa saúde do gado e manter o status sanitário faz parte das premissas do bem-estar animal e, no momento que elas são respeitadas, o gado alcança a expressividade máxima do seu potencial.

As bases para o agronegócio lucrativo e sustentável giram em torno do equilíbrio entre conhecimentos aprofundados em ambiência, do investimento em bons equipamentos e infraestrutura e da alimentação de qualidade. Desde a quantidade ideal de ração ao monitoramento dos horários de alimentação e a investigação das deficiências específicas de cada animal, o segredo do bom funcionamento do sistema está nas boas práticas de manejo animal.

E então, nosso artigo sobre nutrição para gado foi útil para você? Esperamos que sim! Deseja receber mais dicas e informações de como aumentar a produtividade e impulsionar o seu negócio? Assine nossa newsletter e mantenha-se atualizado!

Deixar comentário.

Share This