Avicultura

Energia solar para granjas: como e porque investir?

Escrito por Marcelo Raimundo

Considerado como um dos setores mais importantes para a economia brasileira, a avicultura tem alta demanda energética. Isso porque os responsáveis pela criação de aves convivem, constantemente, com a necessidade de alto investimento em consumo de energia para manter a ambiência ideal em granjas e oferecer boas condições de conforto aos animais.

O calor e as frequentes mudanças de temperatura estão entre as principais causas da perda de animais na avicultura. Sendo assim, é importante observar as condições ideais para cada fase de desenvolvimento da ave.

Na primeira semana de vida dos frangos, o ideal é acondicioná-los em temperatura entre 31 °C e 33 °C. Conforme vão crescendo, a temperatura deverá sofrer diminuição gradual. Para as aves adultas, ela gira em torno de 41 °C, e o ambiente, por sua vez, deve estar entre 21 °C e 23 °C, para que se sintam confortáveis termicamente.

Para que os criadores de aves possam lidar com todas essas particularidades que envolvem a avicultura — e ainda ter controle de gastos com energia —, uma alternativa é o avaliar o uso de energia solar para granjas.

Neste post, ajudaremos você a entender como a energia solar pode ser aproveitada na avicultura com o uso de sistemas fotovoltaicos e como isso pode impactar o seu retorno financeiro. Acompanhe!

Como a energia solar pode ser aproveitada na avicultura?

O conforto animal é de suma importância para a produtividade na avicultura. Um aumento na temperatura corporal de apenas 4 °C já se caracteriza como hipertermia para as aves, já uma diminuição de 8 °C é suficiente para que o animal entre em hipotermia. Em ambos os casos ocorre a falência dos órgãos, levando os animais a óbito. Portanto, a umidade local deve se manter entre 65% e 70%.

Todo o controle de temperaturas demanda cuidado especial com o consumo de energia e um grande investimento. Todavia, a energia solar, com o uso de painéis fotovoltaicos, pode ser aproveitada de forma que os gastos sejam amenizados.

A energia fotovoltaica é originária da transformação de luz solar. Nesse sistema, módulos solares, também conhecidos como placas solares, captam a luz do Sol e transformam a radiação solar em energia.

Essas placas têm células de silício que, ao serem irradiadas pela luz solar, provocam a movimentação dos elétrons e geram energia, que é conduzida para um “inversor”. Esse aparelho é responsável por adaptar a energia para as características da rede elétrica que utilizamos.

Essa energia alimenta equipamentos comuns, como eletrodomésticos, e pode ser usada para sustentar equipamentos de maior porte, utilizados por empresas ou indústrias, uma vez que a energia fotovoltaica segue o mesmo padrão daquela que recebemos da concessionária local.

Assim, os painéis fotovoltaicos podem ser instalados em granjas — tanto em telhados quanto em áreas livres no solo —, onde possam receber incidência de luz solar e, consequentemente, gerar a energia necessária para assegurar o conforto das aves.

Quais as vantagens da energia solar para granjas?

Embora as fontes de energia renovável estejam sendo difundidas com mais frequência, as hidrelétricas seguem como a principal fonte de energia elétrica no Brasil — cerca de 90% da produção energética do país.

O valor pago mensalmente pelos consumidores e produtores é a soma da captação, transmissão e distribuição dos encargos setoriais e dos tributos aplicados por lei. O preço pode ser ainda maior quando há reajustes nas tarifas.

Ao recorrer a energia solar fotovoltaica, as granjas podem desfrutar de uma série de vantagens, especialmente em relação ao retorno de investimento. Confira, a seguir, alguns dos benefícios percebidos.

Economia de energia

A principal vantagem dos sistemas fotovoltaicos está relacionada aos gastos com contas de luz. A energia solar pode gerar economia de até 99% daquilo que é pago em energia elétrica. No entanto, é válido ressaltar que esse valor jamais será zerado, uma vez que o consumidor terá de arcar com a tarifa mínima estabelecida pela Aneel, por meio da Resolução 414/2010.

Créditos de energia

Outra grande vantagem gerada pela instalação do sistema fotovoltaico é referente à possibilidade de o consumidor utilizar créditos de energia. Como isso ocorre? Ao instalar um gerador fotovoltaico em um imóvel, ele passará a converter a luz solar que incide sobre ele em energia elétrica. Essa energia é, então, consumida durante o dia, sendo o excedente injetado na rede que abastece a região.

À noite, quando o gasto energético costuma ser maior, o consumo é provido pela concessionária de distribuição. No final do mês, você só pagará pelo que utilizou da companhia distribuidora, descontada a parcela produzida por seu sistema fotovoltaico.

Já nos casos em que o montante energético gerado em sua casa for maior do que o consumo, o excedente será convertido em créditos de energia solar, medidos em kWh. Esses créditos possuem validade de 60 meses e podem ser utilizados, por exemplo, durante épocas de baixa incidência solar, como o inverno ou, até mesmo, redirecionados para outros imóveis.

Reajustes e bandeiras tarifárias

O consumidor que recorre ao sistema fotovoltaico será beneficiado, ainda, em relação aos reajustes nas contas de luz e ao pagamento de bandeiras tarifárias, impostas pela Agência Nacional de Energia Elétrica.

A energia elétrica das concessionárias tem reajustes acima da inflação. Todavia, as pessoas que investem em energia solar estão imunes a esses reajustes, assim como às bandeiras tarifárias, que são aplicadas quando o país não gera energia suficiente para atender a todos os consumidores. Elas funcionam como acréscimos ao valor do kWh e podem ser verdes, amarelas ou vermelhas, levando em consideração o custo da geração de eletricidade.

Entretanto, quem produz a própria energia por meio de sistemas de energia solar paga apenas pela tarifa mínima, sujeita aos reajustes de preço das concessionárias e às bandeiras tarifárias, o que causa menos impacto no orçamento mensal.

Como ampliar a eficiência energética na avicultura?

O investimento inicial em energia solar para granjas pode ser excessivamente alto caso o produtor tenha alta demanda de consumo. Assim, a instalação de placas fotovoltaicas em grande quantidade pode ser, a princípio, uma alternativa inviável. Porém, há outras possibilidades para ampliar a eficiência energética e, consequentemente, obter retorno financeiro.

Equipamentos com baixo consumo energético são o primeiro passo para a diminuição de gastos na avicultura. Ventiladores de qualidade têm menor consumo de energia e asseguram a eficiência em manter a temperatura ideal para os animais, além de não emitir ruídos que causam estresse para as aves.

Animais que estão protegidos dos ruídos sonoros em excesso e estão inseridos em um ambiente cujo clima é altamente controlado pela eficácia de bons equipamentos de ventilação estarão livres de estresse, terão mais produtividade e, consequentemente, produzirão com mais qualidade.

A união entre sustentabilidade, com o aproveitamento de energia solar para granjas, e equipamentos de qualidade que propiciam conforto animal assegura e impulsiona a avicultura brasileira.

Quer saber como melhorar ainda mais a produção e o retorno financeiro na avicultura? Assine a nossa newsletter e receba conteúdos como este diretamente na sua caixa de entrada do e-mail!

Deixar comentário.

Share This