Conforto Animal Suinocultura

Como os equipamentos e a tecnologia podem ajudar na criação de suínos

As instalações avícolas e suinícolas envolvem investimentos altos e que demoram para serem recuperados. Dessa forma, antes de alocar os animais, é preciso planejar cuidadosamente junto à sua equipe veterinária a estrutura dos criadouros, de modo a facilitar o manejo com dimensionamento físico, ventilação, refrigeração e acomodação ideais.

A simples mudança de tratador já é capaz de gerar estresse no plantel — causando o aumento da frequência cardíaca, por exemplo —, demonstrando o nível de sensibilidade dos animais a fatores externos.

Nesse aspecto, a tecnologia na criação de suínos tem sido um poderoso aliado para promover equilíbrio ao ambiente animal. Isso se dá:

  • na produção de rações de alto valor biológico para a fase de creche (contendo ingredientes como probióticos, prebióticos, enzimas e zinco);
  • na iluminação artificial controlada automaticamente para otimizar o ganho de peso (cujos resultados se mostraram excelentes em pesquisas da Embrapa);
  • e, sobretudo, no controle térmico dos galpões de criação (uma vez que temperaturas acima de 24°C já são suficientes para ampliar o ruído nas instalações e gerar desconforto animal/alterações metabólicas).

Quer descobrir como os equipamentos e a tecnologia podem influenciar na produtividade da suinocultura? Confira agora!

A importância da tecnologia para a rentabilidade na criação de animais

No último levantamento sobre o tema, em 2015, o rebanho brasileiro de suínos alcançava a impressionante marca de 40,33 milhões de cabeças, espalhadas por uma cadeia produtiva que reunia mais de 50 mil produtores. São dados robustos e que explicam por que o país está entre os maiores exportadores de carne e derivados de porcos do planeta.

Boa parcela dos resultados positivos obtidos nos últimos anos se deve aos novos equipamentos e à tecnologia na criação de suínos, como o recente aplicativo de saúde animal, que será disponibilizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para veterinários. Dentre os objetivos do aplicativo estão a solução de dúvidas sobre o comportamento do rebanho e a aceleração da transmissão de informações para autoridades sanitárias.

De fato, as técnicas modernas de criação, monitoramento do crescimento diário, controle sanitário e cuidados com a saúde animal (assim como as manipulações genéticas do plantel) têm favorecido o aumento de produtividade. Isso amplia a competitividade das agroindústrias mais atualizadas com um modelo pecuário cada vez mais afinado com a Ciência e cada vez menos intuitivo.

Um exemplo da tecnologia na criação de suínos se dá pelos resultados de estudos de pesquisadores do Núcleo de Pesquisa em Ambiência (Nupea) da Esalq/USP que correlacionaram o volume de ruídos no criadouro com o aumento gradual de temperatura.

Uma vez constatado que as condições térmicas ideais a porcos jovens circulava em torno de 20°C a 22°C, os animais testados em uma câmara climática foram submetidos a elevações de temperatura que iam de 20°C a 38°C.

Verificou-se que, em situação de conforto, o volume de barulho dentro da instalação ficava em torno de 52 e 54 decibéis (48 animais). No entanto, o aumento de calor gerou picos de 64 decibéis, além de agitação extrema.

Essa agressividade implica no evidente risco de pisoteios, agressões mútuas (mordeduras), intensificação dos vícios de sucção da cauda, mastigação de parte das instalações dos animais (barras, portas etc.) e demais lesões no rebanho. Acima de 30°C já é possível constatar estresse térmico. Mas as (péssimas) consequências do desconforto animal vão muito além dos machucados provocados pela irritação do grupo.

É consenso entre pesquisadores do mundo todo que estressores ambientais (como manejo inadequado, instalações sem equipamentos adequados e desequilíbrio térmico) elevam a secreção endógena de ACTH — Hormônio Adrenocorticotrófico; por sua vez, esse hormônio impulsiona a produção de cortisol, que impacta negativamente os hormônios gonadotróficos, resultando em baixa eficiência produtiva, ou, em casos mais graves, na completa infertilidade.

São muitas variáveis que impactam a produção — como a luz, o espaço entre animais, a nutrição e a temperatura, por exemplo. Citamos apenas um desses elementos para deixar claro o quanto a tecnologia na criação de suínos é importante para promover conforto animal e evitar prejuízos em sua fazenda.

Como o uso de equipamentos de qualidade pode aumentar a produção animal

Pegando o exemplo citado anteriormente, todo esse prejuízo gerado pela infertilidade de centenas de cabeças poderia ser resolvido com a simples instalação de ventiladores de conforto animal.

Atualmente, existem no mercado equipamentos de alta vazão, baixíssima manutenção e o mais importante, ínfimo nível de ruído. Tudo isso leva ar fresco de forma homogênea ao ambiente — o que promove comodidade aos animais sem estressá-los.

Dessa forma, as inovações em tecnologia na criação de suínos, biotecnologia e equipamentos de alta performance devem ser utilizadas em abundância para aumentar a produção de forma sustentável.

Alguns exemplos:

  • automação de todas as etapas da produção;
  • adoção de sistemas humanizados de abate (como eutanásia);
  • seleção genômica;
  • Inseminação Artificial de Tempo Fixo — IATF (em que a inseminação é feita antes da ovulação);
  • uso de iluminação artificial para fomentar o estímulo à alimentação (ganho de peso);
  • e, é claro, controle otimizado da temperatura por meio de ventiladores especiais.

5 melhores equipamentos e recursos para usar na produção animal

1. Suporte para contenção de leitões

O suporte para prender leitões facilita que os veterinários apliquem injeções, efetuem as castrações e examinem os animais, sem risco de o animal se debater e provocar ferimentos.

2. Pisos plásticos removíveis

O material a ser escolhido para o assoalho dos criadouros deve ser removível para facilitar a higienização, sendo também resistente a produtos químicos de limpeza. Deve ser composto de peças que se encaixem facilmente (permitindo a limpeza úmida e a seco) e que impeçam a proliferação de bactérias e protozoários.

3. Ventiladores de conforto animal

Esse é um dos itens mais importantes da tecnologia na criação de suínos, visto que as reações intensas desses animais diante do aumento de temperatura representam o resultado da dificuldade que essa espécie tem em dissipar o calor para manter suas funções vitais.

Pesquisas mostram que, sob estresse térmico, uma porca em fase reprodutiva perde em torno de 1,7 W/kg de peso vivo. A simples presença de equipamentos de refrigeração mecânica (ventiladores) aumenta a resistência desses animais ao calor em até 2°C, segundo estudos da Embrapa.

4. Decibelímetros para avaliação da pressão sonora

Os níveis de pressão sonora e as vocalizações dizem muito sobre problemas comportamentais decorrentes de algum desconforto. Nos níveis de comodidade, os ruídos se situam na faixa de 54 a 55 dB.

Nas faixas críticas, a pressão sonora ultrapassa a 60 dB e isso indica a necessidade imediata de descobrir quais são os fatores que estão desencadeando a irritação no grupo, a fim de evitar as agressões e lesões citadas no início do post.

5. Equipamentos de iluminação artificial

Conforme já debatido neste artigo, o tempo de incidência de luz também influencia no bem-estar dos suínos, bem como nas suas capacidades de ganho de peso e de reprodução. A pesquisa da Embrapa sobre o tema (já referenciada acima) apontou que, no programa de iluminação de 16 horas de luz diária, os animais apresentaram maior ganho de peso em comparação com o plantel que ficou alojado em creche com apenas 8 horas de iluminação diária.

E quanto a você, produtor ou veterinário? Qual tecnologia na criação de suínos utiliza para aumentar os níveis de conforto animal? Deixe sua dica aqui, vamos enriquecer o debate!

Sobre o autor

Marangoni Conforto Animal

Deixar comentário.

Share This